Macedo, Alberto Cardoso Martins de Menezes Macedo. 1878-1947, Senhor da Casa de Caneiros

Available actions

Reader available actions

Available services

 

Macedo, Alberto Cardoso Martins de Menezes Macedo. 1878-1947, Senhor da Casa de Caneiros

Description details

Record type

Authority record   Authority record

Entity type

Reference code

PT/AMAP/AAP/ACMMM

Existance dates

1878-08-08  to  1947-08-24 

Biography or history

Alberto Cardoso Martins de Menezes Macedo, filho de Luís Cardoso Martins da Costa Macedo e Ana Júlia Rebelo, nasceu na Casa do Carmo, S.ta Maria de Oliveira do Castelo, Guimarães em 8 de agosto de 1878 e morreu, na Casa de Caneiros, em 24 de agosto de 1947. Casou na igreja de S.to Estevão de Urgeses, Guimarães, em 5 janeiro de 1901, com D. Arminda Adelaide Baptista de Sampaio. Foi Oficial de Cavalaria, Governador Civil do Porto (de 3-8-1918 a 3-1-1919), Senador (de 19-7-1918 a 21-2-1919), Promotor da Justiça no Tribunal Militar, Comandante duma coluna contra os revoltosos de Vila Real (a 5-1-1919), Senhor da Casa de Caneiros em S.ta Eulália de Fermentões, Guimarães, combatente na 1ª Guerra Mundial, onde comandou em Angola o 3º Esquadrão do regimento de Cavalaria n.º 9 (a 22-8-1914), habilitado com o Curso de Cavalaria da Escola do Exército (a 18-10-1901), Diretor das Escolas Regimentais (de 16-1-1916 a 1-8-1916), Diretor de Instrução dos Oficiais Médicos Milicianos (a 29-8-1916), Medalha de Prata de Classe de Comportamento Exemplar (a 15-11-1913), Medalha de Prata Comemorativa das operações militares realizadas no Sul de Angola em 1914-1915 (a 18-1-1917), Vogal da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, Diretor da Companhia do Porto Colonial (com diversos trabalhos topográficos e agrícolas em Angola, Moçambique e Cabinda), etc.Foi o fundador e criador da Casa dos Pobres em Guimarães, dedicou-se à indústria: fundou a Fábrica de Curtumes de Roldes, em Fermentões e a Lacticínio no Porto. Distinto cavaleiro, venceu algumas provas de saltos e alta escola. Além de muitos artigos em jornais e revistas publicou: “O combate de Vila Real e outros esclarecimentos” em 1926, “A Hora da Justiça”, Famalicão, 1934, “A Indústria de Curtumes”, Porto, 1938, “Viagem de Estudo a Angola” em 1939, “Costumes e Aptidões dos Indígenas Africanos” em 1943.Recebeu na Casa de Caneiros em Fermentões, Guimarães, vários membros de Famílias Reais.In: Luís Miguel Pulido Garcia Cardoso de Menezes - Os Condes de Margaride e a sua descendência, 1ª edição, Lisboa: Instituto D. João VI, 2007, p. 211