Plano de classificação

Foral de Guimarães

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

Foral de Guimarães

Detalhes do registo

Nível de descrição

Documento simples   Documento simples

Código de referência

PT/MGMR/ADP/CMGMR/A/001/8-4-10-9

Tipo de título

Atribuído

Título

Foral de Guimarães

Datas de produção

1095  a  1217 

Dimensão e suporte

1 doc. (450 x 370 mm)

Extensões

1 Capilha

Autor intelectual

Registo Código Tipo de relação Datas da relação
Registo de autoridadeD. Afonso II. 1185-1223, rei de Portugal AAP/RDAII Autor
Registo de autoridadeConde D. Henrique. 1066-1112, conde de Portucale AAP/CDH Autor
Registo de autoridadeD. Afonso Henriques. 1109?-1185, rei de Portugal AAP/RDAI Autor

Âmbito e conteúdo

O primeiro foral português, cuja data não ficou exarada no documento, foi outorgado pelo conde D. Henrique a Guimarães. De acordo com António Matos Reis este foral precede o de Constantim, datado de 1096, daí dever-se colocar esta como sendo a sua data, não podendo ser anterior a esse ano, pois foi por esta altura que o Conde D. Henrique tomou a seu cargo os destinos do condado Portucalense. Este foral reveste-se de extrema importância para o crescimento do burgo vimaranense, no seu texto estão bem patentes as preocupações manifestadas pelo conde D. Henrique e por D. Teresa com o povoamento e desenvolvimento das actividades mercantis. Em 27 de Abril de 1128, D. Afonso Henriques, além de confirmar o foral henriquino, concede novos direitos aos vimaranenses como forma de agradecer o apoio recebido por estes durante o cerco ao castelo comandados por Afonso VII, bem como, para garantir a continuação desse mesmo auxílio, na nova campanha que se avizinhava. Novos privilégios às gentes que viessem habitar Guimarães: Isenção do pagamento de portagem em todos os lugares do reino.Isenção de fossadeira e isenção de impostos nos bens e propriedades dos cavaleiros-vilãos dos vassalos de infanções e de qualquer homem livre.Concessão do estatuto de ingénuo aos juniores.Direito de asilo ao homicida ou violador, que viesse habitar no burgo, desde que não cometesse novo rousso (violação).Isenção de fossadeira e protecção aos bens dos burgueses ou moradores (onde quer que eles se encontrassem), que estiveram ao seu lado no cerco ao castelo.D. Afonso II confirma, possivelmente entre Agosto e Outubro de 1217, os anteriores forais. Saliente-se que não existe o original nem do foral do conde D. Henrique nem do de D. Afonso Henriques, simplesmente as versões copiadas para serem confirmadas por Afonso II. Este documento é composto por três cartas autónomas, sendo apenas original a terceira, emanada da chancelaria de D. Afonso II.

Tradição documental

Tipo técnica de registo

Selos

Selo pendente de D. Afonso II

Aspeto físico

Cota depósito

PT/AMAP/008/004/010/009
PT/AMAP/08/04/10

Cota atual

8-4-10-9

Idioma e escrita

Notas de publicação

Relações com registos de autoridade

Relações com registos de autoridade
Registo Código Tipo de relação Datas da relação
Registo de autoridadeConde D. Henrique. 1066-1112, conde de Portucale AAP/CDH Autor
Registo de autoridadeD. Afonso Henriques. 1109?-1185, rei de Portugal AAP/RDAI Autor
Registo de autoridadeD. Afonso II. 1185-1223, rei de Portugal AAP/RDAII Autor