Mosteiro de São Salvador do Souto

Ações disponíveis

Acções disponíveis ao leitor

Partilhar

 

Mosteiro de São Salvador do Souto

Detalhes do registo

Nível de descrição

Fundo   Fundo

Código de referência

PT/AMAP/ECL/MSSS

Tipo de título

Atribuído

Datas de produção

1000  a  1674-03-07 

Dimensão e suporte

47 pergaminhos

Entidade detentora

Arquivo Municipal Alfredo Pimenta

Produtor

Mosteiro de São Salvador do Souto

História administrativa/biográfica/familiar

O Mosteiro de São Salvador do Souto, foi fundado no século XII por D. Paio Guterres, o Mosteiro de Souto albergou uma comunidade de Cónegos regrantes de Santo Agostinho que, como tantos outros, não resistiu à crise monástica do final da Idade Média.

Cristo e na posse dela o Comendador Rui Drago de Portugal, sobrinho do prior do Mosteiro Martim Rebelo de Macedo, que obteve do Papa IV autorização para a criação de uma comenda, reduzindo a abadia de regular a secular, transformando o Mosteiro em comenda nova[1] da Ordem de Cristo.

Os prazos documentados estendem-se ao longo deste período, com destaque para o prior Domingos Domingues, e o comendador Rui Drago.

[1]Por a bula Redemptor noster do sumo pontífice Leão X, datada de 29 de Abril de 1514, é dada autorização a D. Manuel I, representante máximo da Ordem de Cristo, a retirar a quantia anual de 20.000 cruzados das rendas dos Mosteiros para instituir e dotar Comendas Novas da Ordem de Cristo

Localidade

Freguesia de São Salvador do Souto, Guimarães

Estatuto legal

Organismo Privado

História custodial e arquivística

Este arquivo foi incorporado aquando da criação do Arquivo Municipal Alfredo Pimenta de acordo com o decreto de lei Nº 19.952 de 30 Julho de 1931

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Por se tratar de um arquivo desativado não se prevê a entrada de novas unidades de instalação

Âmbito e conteúdo

Constituído por pergaminhos.

Tradição documental

Sistema de organização

Organização em séries documentais correspondendo à tipologia formal dos atos.

Condições de acesso

A comunicabilidade dos documentos está sujeita ao regime geral dos arquivos e do património arquivístico (Decreto-Lei nº 16/93, de 23 de Janeiro).

Condições de reprodução

A reprodução deverá ser solicitada por escrito, através de requerimento dirigido ao responsável da instituição. O seu deferimento encontra-se sujeito a restrições, atendendo ao estado de conservação e o fim a que se destina.

Idioma e escrita

Escrita

Instrumentos de pesquisa

ARQUIVO MUNICIPAL ALFREDO PIMENTA [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha].GUIMARÃES:AMAP, 2015. Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência do Arquivo Municipal Alfredo Pimenta. Em atualização permanente.