Carta de Alfredo Pimenta para Oliveira Salazar

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

Carta de Alfredo Pimenta para Oliveira Salazar

Detalhes do registo

Nível de descrição

Documento simples   Documento simples

Código de referência

PT/AMAP/FAM/AALP/01-02-02/002-017/10-29-19-6-54

Tipo de título

Atribuído

Título

Carta de Alfredo Pimenta para Oliveira Salazar

Datas de produção

1947-02-17  a  1947-02-17 

Dimensão e suporte

3 f. (30 x 21 cm); papel

Extensões

1 Capilha

Autor intelectual

Registo Código Tipo de relação Datas da relação
Registo de autoridadePimenta, Alfredo Augusto Lopes. 1882-1950, historiador, escritor e poeta AAP/AP Autor

Âmbito e conteúdo

A carta que o filho de Alfredo Pimento enviou a Mário Figueiredo.

Tradição documental

Tipo técnica de registo

Assinaturas

Alfredo Pimenta

Condições de acesso

Comunicável

Condições de reprodução

A reprodução deverá ser solicitada por escrito através de requerimento dirigido ao responsável da instituição.

Aspeto físico

Cota depósito

PT/AMAP/010/029/019/006/054

Cota atual

10-29-19-6-54

Idioma e escrita

Escrita

Notas de publicação

Referência bibliográficaPublicada in: SALAZAR E ALFREDO PIMENTA: Correspondência, 1931-1950 / Prof. Manuel Braga da Cruz .[Lisboa]: Verbo, 2008, p. 285.

Transcrição

1947 21-2 2B-168 Lisboa 2a feira Exmo Snr Presidente do Conselho: - peço licença a V.ª Ex.ª para colocar diante dos seus olhos, chamando a sua atenção para ela, a cópia da carta que o meu filho mandou ao Prof Mário de Figueiredo. Quando, aqui, há semanas, ele me falou ao de leve no caso, não fiz reparo de maior. Mas quando, na sexta-feira passada, me leu, pelo telefone, esta carta, afligi-me, e pedi-lhe que ma desse, para eu dar conhecimento dela a V.ª Ex.ª. Há nove anos, desde que o Teotónio Pereira, espontaneamente, sem qualquer sugestão de ninguém, convidou o meu filho para o lugar que ocupa de chefe do contencioso dos organismos de coordenação económica, que eu ando a dizer que só respirava no dia em que o visse fora dessas atribuições ou de quaisquer que lhe atribuíssem dentro do Estado, porque desgraçadamente sei a terra em que vivo. Mas nunca supus que se faltasse ao respeito ao nome que ele usa, e nobreza, rectidão, e natureza exemplar do seu carácter — de forma a obrigá-lo a redigir a carta que V.ª Ex.ª tem na sua frente, e de que só tive conhecimento, depois de enviada ao seu destinatário. Não é por ser meu filho — porque os meus juízos não se formulam através do meu coração de Pai. É o conhecimento directo e permanente da sua vida que me habilitam e autorizam a sentir-me orgulhoso dele. Se as suas funções são precisas para dar de comer a ineptodesempregados, se é que ainda os há, tirem-lhas, que a sua actividade de advogado lhe basta para viver à vontade como vive. Tirem-lhas, mas prestem-lhe as homenagens de justiça, respeito, consideração e apreço que merece. Enveredar pelo caminho que a carta denuncia magoa-me, ofende-me e revolta. Desculpe V.ª Ex.ª o desabafo que estas minhas palavras traduzem, e creia-me com toda a consideração m.to att.o, adm.or obrg.oA.P.

Relações com registos de autoridade

Relações com registos de autoridade
Registo Código Tipo de relação Datas da relação
Registo de autoridadePimenta, Alfredo Augusto Lopes. 1882-1950, historiador, escritor e poeta AAP/AP Autor