Plano de classificação

Pública forma do emprazamento feito pelo cabido a Álvaro Gonçalves de Freitas, vassalo de el-rei e mulher Beringeira Gil

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Representação digital

Pública forma do emprazamento feito pelo cabido a Álvaro Gonçalves de Freitas, vassalo de el-rei e mulher Beringeira Gil

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

Pública forma do emprazamento feito pelo cabido a Álvaro Gonçalves de Freitas, vassalo de el-rei e mulher Beringeira Gil

Detalhes do registo

Nível de descrição

Documento composto   Documento composto

Código de referência

PT/AMAP/ECL/CSMOGMR/001/8-3-3-5

Tipo de título

Atribuído

Título

Pública forma do emprazamento feito pelo cabido a Álvaro Gonçalves de Freitas, vassalo de el-rei e mulher Beringeira Gil

Datas de produção

1392-09-20  a  1392-09-20 

Dimensão e suporte

1 doc. (525x410 mm)

Âmbito e conteúdo

"Pública-forma do emprazamento feito pelo cabido, em 20 de setembro da era de 1430, a Álvaro Gonçalves de Freitas, vassalo de el-rei, e mulher Beringeira Gil, que fôra casada com Vasco Domingues, de quem não tivera geração, moradores em Guimarães. Este emprazamento, escrito pelo tabelião Álvaro Anes na igreja de Santa Maria «hu ora está o côro», sendo testemunhas Gonçalo Fernandes, chantre de Silves; Lourenço Estevez, abade de Gondar, e João Afonso, abade de Santa Comba de Montelongo; foi feito em atenção, não só às benfeitorias que nos prédios emprazados fizera o dito Vasco Domingues, mas também ao rogo de el-rei que pedira ao cabido o fizesse ao dito Álvaro Gonçalves, seu criado, e em virtude do acréscimo da renda que os novos enfiteutas se prestavam a pagar 2 maravidis e um par de capões na segunda vida e 4 maravidis na terceira, e ainda ao serviço que a Igreja de santa Maria recebera dele Álvaro Gonçalves de Freitas, que tratou alguns feitos dela, e ao serviço do cónego Gil Annes, pai de Beringeira Gil e ao de Maria Souza, mãe desta, que ambos fizeram legados do cabido. Os prédios emprazados foram os seguintes: o lugar de Margaride, que chamam Pernelhe, na freguesia da Costa: Lugar de Fonte Boa de Torpecido, na freguesia de Santa Oraya de Fermentões; umas casas na rua Nova do Muro; umas casas na rua de Traspom; umas casas de Dona Nais, que foram recontruídas, jazendo em pardieiro, por Vasco Domingues e Beringeira Gil. As condições impostas foram de neles fazerem toda a benfeitoria e melhoramento, salvo de fogo e de arrunhamento e de pagarem anualmente: pelo lugar de Margaride 12 maravidis a primeira pessoa, 13 a segunda e 14 a terceira; pelo da Fonte Boa 16 maravidis a primeira, 17 a segunda e 18 a terceira; pelas casas da Rua Nova do Muro 5 maravidis e um par de capões; pelas casas da rua Traspom 3,5 maravidis, pelas da rua Dona Nais, em que Afonso Gonçalves tem a adega, 3 libras. Foi passada a pública-forma, por mandado de Gil Lourenço, prebendeiro do cabido e juiz de Guimarães, a 30 de maio de 1424, pelo tabelião João Anes, sendo uma das testemunhas João Gonçalves."

Tradição documental

Tipo técnica de registo

Aspeto físico

Cota atual

8-3-3-5

Cota antiga

Nº 178

Idioma e escrita

Escrita