Carta de Alfredo Guimarães para Alfredo Pimenta

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Representação digital

Carta de Alfredo Guimarães para Alfredo Pimenta

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

Carta de Alfredo Guimarães para Alfredo Pimenta

Detalhes do registo

Nível de descrição

Documento simples   Documento simples

Código de referência

PT/AMAP/FAM/AALP/01-02-02/001-2877/10-29-20-1-26

Tipo de título

Atribuído

Título

Carta de Alfredo Guimarães para Alfredo Pimenta

Datas de produção

1944-11-27  a  1944-11-27 

Dimensão e suporte

1 f. (29 x 22 cm); papel

Extensões

1 Capilha

Âmbito e conteúdo

Justifica o despedimento do guarda noturno do Museu de Alberto Sampaio.

Tradição documental

Tipo técnica de registo

Marcas

Museu Regional de Alberto Sampaio

Assinaturas

Alfredo Guimarães

Condições de acesso

Comunicável

Condições de reprodução

A reprodução deverá ser solicitada por escrito através de requerimento dirigido ao responsável da instituição

Aspeto físico

Cota atual

10-29-20-1-26

Idioma e escrita

Escrita

Notas de publicação

Referência bibliográficaPIMENTA, Maria Tereza (2005) - Cartas Inéditas de Alfredo Guimarães a Alfredo Pimenta durante os anos 30 e 40 do século XX. "Gil Vicente: Revista de Cultura e Actualidade". Guimarães: Cidade Berço. IV série n.º5 (2004-2005), p. 71

Transcrição

Meu caro Amigo: Despedi hoje o guarda-nocturno do Museu a meu cargo. Seis anos de paciência para aturar, pela nossa amizade, toda a série de actos de estupidez e de má educação - além das faltas, provadas, ao cumprimento dos seus deveres, pois em variadíssimas noites, chegava, e regressava pouco depois a casa, sem guardar coisa nenhuma - levaram-me hoje, por faltas graves de obediência e respeito, a demiti-lo, e,correspondentemente, a incomodar-me o que me incomodei. Ninguém pode fazer mais do que aquilo que toca, demasiadamente, as suas responsabilidades, e ainda a saúde dos Seus nervos. Nada aqui ficou que lhe pertencesse; e nada se lhe ficou a dever. Dada esta satisfação, que era absolutamente devida, peço que me continue a considerar às suas ordens. Os meus respeitos às Senhoras. Amigo certo Alfredo Guimarães